SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

CNPJ/MF nº 60.517.984/0001-04
Fundação: 25 de janeiro de 1930
Apelidos: O Mais Querido, Clube da Fé, SPFC, Tricolor Paulista.
Esquadrão de Aço (30-35), Tigres da Floresta (30-35), Rolo Compressor (38-39, 43-49), Tricolor do Canindé (44-56), Rei da Brasilidade (50-60), Tricolor do Morumbi (60-), Máquina Tricolor (80/81), Tricolaço (80/81), Menudos do Morumbi (85-89), Máquina Mortífera (92/93), Expressinho Tricolor (94), Time de Guerreiros (2005), Soberano (2008), Jason (08-09), Exército da Salvação (2017).
Mascote: São Paulo, o santo.
Lema: Pro São Paulo FC Fiant Eximia (Em prol do São Paulo FC façam o melhor).
Endereço: Pr. Roberto Gomes Pedrosa, 1. Morumbi; São Paulo - SP. CEP: 05653-070.
Site Oficial: www.saopaulofc.net
E-mail: site@saopaulofc.net
Telefone: (55-0xx11) 3749-8000. Fax: 3742-7272.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Narração falsa de gol de Friedenreich


(arquivo original em wav da tricolormania, este foi convertido para mp3)

Oficialmente, a primeira partida de futebol narrada no rádio ocorreu em 19 de julho de 1931 através da Rádio Sociedade Educadora Paulista (embate entre as seleções de São Paulo e do Paraná) e foi desempenhada por Nicolau Tuma, célebre radialista que inventara o próprio termo que caracteriza estes profissionais.

Até esta data somente ocorriam alguns "flashes", narrações de pequenos trechos, ou somente comentários sobre cada jogo. (Lembrando que o rádio no Brasil data de 1922).

Todavia, o áudio aqui apresentado nada mais é que uma brincadeira, uma reprodução do que poderia ter sido o gol de Friedenreich narrado. Ou seja, é um áudio falso (e mantenho essa postagem para avisar isso e que não se perpetue como verdade).

A narração se refere ao primeiro clássico derby da história, um SPFC versus Palestra em 1930, mais precisamente o quarto jogo da história do Tricolor.

Mais detalhes você pode conferir aqui em: Partida Oficial nº 0004.
________
Agradecimentos: Jorge Menezes.

Memorial Luiz Cássio dos Santos Werneck


O Memorial Luiz Cássio dos Santos Werneck, o Memorial de títulos e glórias do São Paulo Futebol clube, leva o nome de um ilustríssimo advogado, conselheiro, diretor e presidente de conselho do clube (a última vez eleito Presidente do Conselho Deliberativo em 2002, ao lado de Marcelo Portugal Gouvêia e Édison Richelmo Zago).

Tal honra se deve ao fato de Werneck ter sido o fiel escudeiro de Cícero Pompeu de Toledo durante a construção do Morumbi. Ele, ao lado de Cícero e Luís Campos Aranha, batalharam sem trégua em visa de obter os recursos da construção do Estádio. Negociou, por exemplo, com a Companhia Antárctica Paulista, de cervejas, um contrato de publicidade que alavancou as obras.

Curiosamente, Werneck nunca apoiou o batismo do estádio com o nome de seu amigo, pois, acreditava que a vontade do finado Presidente Tricolor era manter a idéia do nome original: Estádio Nove de Julho, em homenagem à Revolução de 1932 e à Paulicéia. Todavia, da mesma forma que seu colega foi prestiagiado, Werneck não podia deixar de ser...

Faleceu recentemente, em 2004, mas seu nome agora é ostentado no maior bastião daquilo que por sempre lutou: ver um São Paulo grande e campeão.


Artigos sobre

Do: site oficial em Memorial.

Memorial: glória que não acaba mais.
Num dado momento de sua história, o São Paulo se deu conta de que a lista de seus triunfos era tão extensa que até mesmo para se ter uma noção dela era difícil. Conquistas em todas as quadras, campos e ringues faziam dura a vida de quem precisava ou queria saber quão bela é a alegria sãopaulina.

E assim, em 1994, o presidente José Eduardo Mesquita Pimenta pôde, depois de dez meses de planejamento, inaugurar o Memorial do São Paulo, um espaço onde, finalmente,o sãopaulino teria uma noção do tamanho de sua grandeza, com vitórias em todos os tipos de competição. Em 1998, o São Paulo expandiria o conceito do Memorial para que atingisse não somente o torcedor tricolor, mas todos os fãs do esporte. Exposições como "85 Anos de Leônidas da Silva", "Um Traço Tricolor" e "Adhemar Ferreira da Silva, o Atleta de Ouro" apaixonaram sãopaulinos e não-sãopaulinos.


O primeiro piso do Memorial expõe os troféus que o São Paulo ganhou em sua história.

Além disso, também exibe objetos pessoais de três lendas Tricolores: o boxeador Éder Jofre, o atacante Leônidas da Silva e o bicampeão olímpico Adhemar Ferreira da Silva.
As paredes são decoradas com retratos de sãopaulinos que foram campeões pela Seleção Brasileira, além de um painel com os maiores ídolos que desfilaram pelos gramados vestindo a camisa Tricolor. O segundo piso é dedicado às conquistas em todas as quadras. Futsal, aeróbica, judô e outros esportes fazem a alegria do sãopaulino em busca da história. Para finalizar, o visitante ainda assiste uma exibição em vídeo com as grandes conquistas do São Paulo ao longo da história.
___________

De: Balipodo.com em Museus dos grandes clubes paulistas.

O “Memorial Luiz Cássio dos Santos Werneck” foi inaugurado em 1994 e, na época, era um símbolo das glórias e organização são-paulinas, pois os clubes paulistas não tinham tanto cuidado com sua história. Hoje, o museu está defasado em relação aos demais, pois parece uma bela sala de troféus melhorada. Nada além disso.

Pontos positivos
O museu começa com uma vitrine com os troféus mais recentes (Brasileirão 2006 e Mundial e Libertadores 2005), dando impacto imediato ao visitante. Além disso, há um espaço decente (poderia ser melhor) à história do Morumbi e mostra muitos troféus. Há uma estátua para homenagear Leônidas da Silva (nem tem tanto destaque quanto parece, mas é interessante) e espaço para Éder Jofre e Adhemar Ferreira da Silva. O “preço” da entrada é muito bom.

Pontos negativos
Por ser mais antigo que os dos rivais, percebe-se que ainda é “imaturo” e tem um conceito pouco desenvolvido. Os troféus não estão organizados e, sem hierarquia de importância (as Libertadores e Mundiais de 1992 e 93 e os Brasileirões de 1977, 86 e 91 estão escondidos), fica difícil encontrar um ou outro em particular. Falta recursos mais modernos, como vídeo, multimídia e artigos históricos. A loja de souvenires é mal colocada (o torcedor pode ver quase todo o museu e nem perceber sua existência) e pobre em variedade.

Mais informações
A entrada é gratuita, basta aparecer no Portão 17 do Morumbi (na avenida Giovanni Gronchi) entre 9h e 16h30 (dias úteis) ou 12h e 16h30 (fins-de-semana e feriados). O museu não abre em dias de jogos no Morumbi.

S%E3o%20Paulo_Memorial%201.jpg S%E3o%20Paulo_memorial%202.jpg S%E3o%20Paulo_memorial%204.jpg S%E3o%20Paulo_memorial%203.jpg S%E3o%20Paulo_memorial%205.jpg S%E3o%20Paulo_memorial.jpg

Por Ubiratan Leal.
Imagens: Ubiratan Leal.

Vídeo sobre


De TP.com.br, agradecimentos ao Felipe.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

São Paulo de Paranavaí

Paranavaí, cidade do interior do Paraná, onde está, como é bem conhecido do público, uma ampla concentração de torcedores tricolores. Esta é uma imagem bem antiga, de 1965, de um clube que prestava homenagem ao Tricolor paulista.

" A foto é da equipe de futebol do São Paulo, de Paranavaí, do ano de 1965. Em pé, da esquerda para a direita, estão André, Baiano, Zito, Tonhão, Cristóvão, Josué, Eduardo e Mestiço. Agachados, na mesma ordem, Tetê, Jaime, Jonas, Castilho e Valdir.

Foto cedida pelo Sebastião (Baiano)."

Fonte: Diário do Noroeste.



Medalhas para a torcida

(Medalha de Campeão Brasileiro, 2006)

Quanto mais responsabilidade, maior a cobrança - normal, ainda mais quando parte de uma crítica interna, pessoal - uma gana por vitórias e conquistas que superam quaisquer aparências hipócritas, que desvencilha dos laços do julgamento autoritário do senso comum.

É instintivo, autêntico.

E, depois de três vice-campeonatos (Paulista, Libertadores e Recopa, 2006) a reação foi a seguinte:
___________

Rogério Ceni atira medalha de vice para a torcida

da Folha de S.Paulo

Após mais um gosto amargo de vice, o goleiro Rogério Ceni simbolizou a frustração da equipe são-paulina com o resultado.

Depois do empate por 2 a 2 com o Boca Junior, na noite desta quinta, no Morumbi, que deu o título da Recopa Sul-Americana ao time argentino, o capitão da equipe foi até a torcida e atirou sua medalha de prata na direção dos fãs.

Para o ala Souza, resta agora tentar recompensar a torcida. "Disputamos três campeonatos e perdemos os títulos por muito pouco", afirmou ele.

"Agora temos que nos concentrar no Brasileiro. O que sabemos é que não falta vontade. Mas sabemos que o Brasileiro virou obrigação. Precisamos do título de qualquer jeito."
___________

Todavia, antes o inconformismo quando é sabido seu potencial, à pasmice do discurso pronto e eximidor do peso em suas costas. Pesou sim, marcou, mas deu-se a volta por cima:
___________

Ceni cumpre promessa e joga medalha para torcida

do Portal Terra.

O goleiro Rogério Ceni cumpriu, após a vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, neste domingo, a promessa de jogar a medalha pelo título do Campeonato Brasileiro à torcida do São Paulo. Assim que foi premiado, ele beijou o objeto e o atirou na arquibancada.

O jogador já havia feito gesto semelhante quando o time do Morumbi perdeu a final da Recopa Sul-Americana para o Boca Juniors. Bastante criticado na ocasião, disse que a atitude foi uma maneira de homenagear os torcedores tricolores.

Para encerrar a polêmica, Rogério Ceni disse que jogaria a medalha novamente para o público após a partida contra o Cruzeiro. Cumprida a promessa, o torcedor Guilherme Faldon foi quem levou o prêmio para casa.
___________

Crédito da Imagem: São-paulinos na geral.

São Paulo Campeão

São Paulo Campeão



(música completa gratuíta disponível para download neste site e na imagem acima)

Planta e Raiz

Ô Tricolor
Ó Tricolor
O goleiro matador, bate a falta, faz o gol
Faz a festa da torcida
Que sempre unida, grita "É campeão"

Ô Tricolor
Ó Tricolor
A nação do Morumbi
não se cansa de aplaudir
A jogada mais bonita
O mundo grita:
"São Paulo é campeão!!"

Vai lá, vai lá, vai lá, vai lá, vai lá de coração!
Vamo São Paulo, vamo São Paulo, vamo ser campeão!
Vai lá, vai lá, vai lá, vai lá, vai lá de coração!
Vamo São Paulo, vamo São Paulo, vamo ser campeão!

Ô Tricolor
Ó Tricolor
O goleiro matador, bate a falta, faz o gol
faz a festa da torcida
Que sempre unida, grita "É campeão"

Ô Tricolor
Ó Tricolor
A nação do Morumbi
não se cansa de aplaudir
A jogada mais bonita
O mundo grita:
"São Paulo é campeão!!"

Vai lá, vai lá, vai lá, vai lá, vai lá de coração
Vamo São Paulo, vamo São Paulo, vamo ser campeão!
Vai lá, vai lá, vai lá, vai lá, vai lá de coração
Vamo São Paulo, vamo São Paulo, vamo ser campeão!
Vai lá, vai lá, vai lá, vai lá, vai lá de coração
Vamo São Paulo, vamo São Paulo, vamo ser campeão!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

533 - Jogo para Celular

Game oficial do São Paulo para celular


Escrito por Dario Rodrigues em fevereiro 26, 2008

Fevereiro de 2008 - A Tectoy Mobile fecha mais uma aliança estratégica. Agora, a empresa referência no segmento de jogos para telefone celular anuncia a parceria com a Warner Bros. Consumer Products, licenciada master exclusiva do São Paulo Futebol Clube no Brasil e no Japão. O primeiro resultado será o lançamento do “5-3-3”, único game oficial do São Paulo Futebol Clube para celular. O desenvolvimento do jogo está sendo feito pela Tectoy Digital e em breve estará disponível para as operadoras em todo o Brasil.

“Com a parceria com a Warner Bros. Consumer Products, a Tectoy Mobile será a única a ter os direitos de comercialização de jogos móbile e wallpapers oficiais do São Paulo Futebol Clube”, diz João Marcos Oliveira, gerente geral da Tectoy Mobile.

“Para a Warner Bros. Consumer Products, por sua vez, ter um parceiro com a expertise da Tectoy Mobile significa ampliar o portfólio e com produto de alta qualidade”, diz Marcos Bandeira de Mello, General Manager da Warner Bros. Consumer Products.

O nome 5-3-3 é uma referência ao número de títulos conquistados pelo São Paulo: são cinco Campeonatos Brasileiros, três Taça Libertadores da América e três Mundiais de Clubes da FIFA. Quanto ao jogo, desafia os fanáticos a cobrarem faltas e pênaltis, exatamente como se fossem os tricolores do Morumbi. As cobranças acontecem em circuitos, começando pelo Campeonato Brasileiro, seguindo pela Libertadores e finalizando com o Mundial de Clubes. Conforme o jogador balança a rede e converte cliques em gols, destrava a fase seguinte, avança nos campeonatos e tem acesso a novos jogadores, como Richarlyson e Jorge Wagner, até chegar ao ídolo Rogério Ceni.

Outra novidade do “5-3-3” é que o usuário poderá acessar o menu do jogo diretamente do portal da operadora, ampliando sua experiência com a compra de wallpapers exclusivos do time, sem sair do campo.

Fonte: São Paulo Tricolor, com Dário Rodrigues.

Tricolor terá joguinho para celular

No game ‘5-3-3’ o torcedor baterá pênaltis e faltas até alcançar Rogério Ceni

GLOBOESPORTE.COM Em São Paulo

Os torcedores são-paulinos terão à disposição um game temático para jogar em seus telefones celulares. O "5-3-3" é fruto de uma parceria do clube com a Warner Bros. Consumer Products.

O nome do jogo é uma referência aos títulos mais importantes do Tricolor – pentacampeão brasileiro e tri da Libertadores e do Mundial – e à logomarca que já estampa algumas camisetas.

O game será um desafio para que os usuários cobrem pênaltis e faltas. Conforme o jogador vá acertando o gol, novas fases irão surgir, com acesso a campeonatos e atletas diferentes. Passando por Richarlyson e Jorge Wagner, o objetivo do game será atingir o último atleta são-paulino, o goleiro-capitão-ídolo Rogério Ceni. Em breve, o jogo estará disponível para as operadoras em todo o Brasil.

Fonte: Globoesporte.

Parceiros do São Paulo lançam jogo do clube para celular

Além do ‘5-3-3’, Tectoy Mobile desenvolverá wallpapers e ringtones do atual campeão brasileiro

Equipe Cidade do Futebol

O São Paulo segue trabalhando no desenvolvimento de sua marca. Nesta terça-feira, foi anunciada a aliança entre a Warner Bros. Consumer Products, licenciada master exclusiva do São Paulo Futebol Clube no Brasil e no Japão, e a Tectoy Mobile, empresa referência no segmento de jogos para telefone celular. E justamente o resultado será o lançamento de um game oficial do clube.

Intitulado de “5-3-3”, na esteira referencial às camisas comemorativas lançadas após a conquista do pentacampeonato brasileiro – os outros “3” fazem alusão às três taças da Libertadores da América e do Mundial de Clubes –, o jogo desafiará os torcedores a cobrarem faltas e pênaltis virtuais, em uma espécie de circuito.

Conforme o jogador balança a rede e converte cliques em gols, a fase seguinte é destravada, o controlador avança nos campeonatos e tem acesso a novos jogadores, como Richarlyson e Jorge Wagner – até chegar ao goleiro e um dos grandes nomes da história do clube Rogério Ceni.

“Com a parceria com a Warner Bros. Consumer Products, a Tectoy Mobile será a única a ter os direitos de comercialização de jogos móbile e wallpapers oficiais do São Paulo Futebol Clube”, afirma João Marcos Oliveira , gerente geral da Tectoy Mobile.

Outra novidade do “5-3- 3” é que o usuário poderá acessar o menu do jogo diretamente do portal da operadora, ampliando sua experiência com a compra de wallpapers exclusivos do time.

“Para a Warner Bros. Consumer Products, por sua vez, ter um parceiro com a expertise da Tectoy Mobile significa ampliar o portfólio e com produto de alta qualidade”, completa Marcos Bandeira de Mello, General Manager da Warner.

Fonte: Cidade do Futebol.

Jogo de Botão Gulliver

Jogo de botão da Gulliver, dos anos 70. Uma das provas da fidelidade clubística daquela época, onde cada jogador tinha sua face estampada no botão, permanecendo válido e atual por anos e anos de brincadeiras. Atualmente os botões, geralmente, só inlustram os distintivos - isso quando se encontra algum a ser vendido por ai.

Créditos da imagem, como podem ver: Sandro Wagner.

Goleiro Artilheiro

Goleiro Artilheiro



(música completa gratuíta do site dos autores)

Guto e Nando

Ele é forte, lutador
É guerreiro
E é o dono da bola
Dá o sangue dentro das 4 linhas
Ele faz sua história

È gigante como um gladiador
Dentro de uma arena
Mostra as garras
Ultrapassa os limites
Sem ter dó, nem ter pena

É um craque de fé
Que o destino mostrou
Com a bola no pé
Sua meta é o gol

Ouououo
Ele é raça e emoção
Ouououo
Ele é campeão
Ouououo
Conquistou o mundo inteiro
Dentro e fora de campo
Sempre brilha uma estrela
Ele é o goleiro artilheiro

"Rogério se prepara
Vai bater a falta
O juiz autoriza
Bateu...no canto direito
È goool
Rogério Ceni!"

È gigante como um gladiador
Dentro de uma arena
Mostra as garras
Ultrapassa os limites
Sem ter dó, nem ter pena

É um craque de fé
Que o destino mostrou
Com a bola no pé
Sua meta é o gol

Ouououo
Ele é raça e emoção
Ouououo
Ele é campeão
Ouououo
Conquistou o mundo inteiro
Dentro e fora de campo
Sempre brilha uma estrela
Ele é o goleiro artilheiro

Ouououo
Ele é raça e emoção
Ouououo
Ele é campeão
Ouououo
Ele é brasileiro
Dentro e fora de campo
Sempre brilha uma estrela
Ele é o goleiro artilheiro

Ele é o goleiro artilheiro
Goleiro artilheiro...

27/02/2008 Atlético Nacional 1 x 1 São Paulo


27/02/2008. Copa Santander Libertadores da América. Horário: 21:45.
Medellín (COL). Estádio Atanásio Girardot.
Corporación Deportiva Club ATLETICO NACIONAL (Colômbia) 1 x 1 São Paulo Futebol Clube (Brasil)

Relacionados para o jogo: 1 - Rogério Ceni, 22 - Bosco; 6 - Júnior, 12 - Joilson, 13 - Reasco, 21 - Éder; 2 - Juninho, 3 - André Dias, 5 - Miranda, 7 - Jorge Wagner, 8 - Fábio Santos (cortado), 15 - Hernanes, 18 - Hugo, 19 - Carlos Alberto, 20 - Richarlyson, 23 - Zé Luis; 9 - Éder Luis, 10 - Adriano, 17 - Borges.

Escalação: Rogério Ceni; André Dias, Miranda e Zé Luis; Joílson (Éder), Richarlyson, Hernanes, Éder Luis e Jorge Wagner; Borges (Carlos Alberto) e Adriano.
Banco: Bosco, Éder, Juninho, Júnior, Reasco, Hugo e Carlos Alberto.

Técnico: Muricy Ramalho.
Gol: Miranda.
Árbitro: Victor Hugo River (Peru).
Assistentes: Percy Rojas e Juan Sulca (ambos do Peru).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: a confirmar.
Público: a confirmar.

ÍNDICE DE JOGOS
◄ | Anterior | Referente | Seguinte | ►

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Estréias na Libertadores


30/01/1972 Taça Libertadores da América 1972
Belo Horizonte (MG) Estádio Governador Magalhães Pinto - Mineirão
Clube ATLÉTICO MINEIRO (Brasil) 2 X 2 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Sérgio; Pablo Forlán, Samuel, Arlindo e Gilberto Sorriso; Teodoro (Carlos Alberto) e Pedro Rocha; Paulo Nani (Everaldo), Terto, Toninho Guerreiro e Paraná.
Técnico: Alfredo Ramos.
Gols: Terto e Toninho Guerreiro.
Árbitro: Arnaldo David Cézar Coelho (Brasil).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: 30.065 pessoas.

30/03/1974 Taça Libertadores da América 1974
São Paulo (SP) Estádio Cícero Pompeu de Toledo - Morumbi
SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil) 2 X 0 Sociedade Esportiva PALMEIRAS (Brasil)
Waldir Peres; Pablo Forlán, Paranhos, Arlindo e Gilberto Sorriso; Chicão e Pedro Rocha; Terto, Ademir, Serginho e Piau.
Técnico: José Poy.
Gols: Terto (2).
Árbitro: Armando Nunes Castanheira da Rosa Marques (Brasil).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Cr$ 83.334,00.
Público: 9.462 pessoas.

15/03/1978 Taça Libertadores da América 1978
Belo Horizonte (MG) Estádio Governador Magalhães Pinto - Mineirão
Clube ATLÉTICO MINEIRO (Brasil) 1 X 1 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Waldir Peres; Getúlio, Estevam, Bezerra e Antenor; Chicão, Darío Pereyra e Neca; Edu Bala, Mirandinha e Zé Sérgio (Luís Müller).
Técnico: Rubens Minelli.
Gol: Darío Pereyra.
Árbitro: Arnaldo David Cézar Coelho (Brasil).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Cr$ 1.218.690,00.
Público: 30.863 pessoas.

13/08/1982 Taça Libertadores da América 1982
São Paulo (SP) Estádio Cícero Pompeu de Toledo - Morumbi
SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil) 2 X 2 GRÊMIO Foot-Ball Porto Alegrense (Brasil)
Waldir Peres; Paulo, Oscar, Gassem e Edel; Almir, Renato e Éverton; Paulo César (Jaiminho), Serginho (Zé Sérgio) e Mário Sérgio.
Técnico: José Poy.
Gols: Serginho (2).
Árbitro: José Roberto Ramiz Wright (Brasil).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Cr$ 8.379.700,00.
Público: 23.123 pessoas.

27/03/1987 Taça Libertadores da América 1987
Campinas (SP) Estádio Brinco de Ouro da Princesa
GUARANI Futebol Clube (Brasil) 3 X 1 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Gilmar; Fonseca, Oscar, Darío Pereyra (Zé Teodoro) e Denys; Wágner Basílio (Müller), Vizolli, Silas e Pita; Lê e Quinho.
Técnico: Pepe.
Gol: Müller.
Árbitro: Arnaldo David Cézar Coelho (Brasil).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Cz$ 275.860,00.
Público: 4.122 pessoas.

06/03/1992 Taça Libertadores da América 1992
Criciúma (SC) Estádio Heriberto Hülse
CRICIÚMA Esporte Clube (Brasil) 3 X 0 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Zetti; Antônio Carlos, Ronaldão e Ivan; Pintado, Mona, Eraldo e Suélio; Catê (Cafu), Gilmar Estevam e Cláudio Moura (Raí).
Técnico: Telê Santana.
Não houve gol marcado pelo SPFC nessa partida.
Árbitro: Renato Marsiglia (Brasil).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Cr$ 73.855.000,00.
Público: 13.496.

07/04/1993 Taça Libertadores da América 1993
Rosario (Argentina) Estádio Parque Independencia - Monumental de Rosario
Club Atlético NEWELL'S OLD BOYS (Argentina) 2 X 0 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Zetti; Vítor, Adílson, Ronaldão e André Luiz; Válber, Pintado, Dinho e Cafu; Palhinha e Müller.
Técnico: Telê Santana.
Não houve gol marcado pelo SPFC nessa partida.
Árbitro: Juan Francisco Escobar (Paraguai).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: 30.000.

27/04/1994 Taça Libertadores da América 1994
São Paulo (SP) Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho - Pacaembu
Sociedade Esportiva PALMEIRAS (Brasil) 0 X 0 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Zetti; Cafu, Júnior Baiano, Gilmar e André Luiz; Doriva, Axel e Leonardo (Juninho); Euller, Jamelli (Vítor) e Müller.
Técnico: Telê Santana.
Não houve gol marcado pelo SPFC nessa partida.
Árbitro: João Paulo Araújo (Brasil).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: Desconhecido.

11/02/2004 Copa Toyota Libertadores da América 2004
Lima (Peru) Estádio Nacional
Club ALIANZA LIMA (Peru) 1 X 2 SÃO PAULO Futebol Clube (SP)
Rogério Ceni; Cicinho, Fabão, Rodrigo e Fábio Santos; Alexandre, Fábio Simplício, Marquinhos (Danilo) e Gustavo Nery (Jean Carlos); Grafite (Diego Lugano) e Luís Fabiano.
Técnico: Cuca.
Gols: Rogério Ceni e Fabão.
Árbitro: Claudio Mario Martín (Argentina)
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: Desconhecido.

03/03/2005 Copa Toyota Libertadores da América 2005
La Paz (Bolívia) Estádio Hernando Siles
THE STRONGEST Football Club (Bolívia) 3 X 3 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Rogério Ceni; Edcarlos, Diego Lugano e Alex (Flávio, depois Marco Antônio); Cicinho (Jean Carlos), Mineiro, Josué, Danilo e Júnior; Grafite e Luizão.
Técnico: Émerson Leão.
Gols: Danilo, Luizão e Grafite.
Árbitro: Gustavo Gabriel Méndez González (Uruguai).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: B$ 361.540 (bolivianos) = R$ 119.672,20.
Público: 14.784 pessoas.

01/03/2006 Copa Toyota Libertadores da América 2006
Caracas (Venezuela) Estádio Nacional Brígido Iriarte del Paraíso
CARACAS Fútbol Club (Venezuela) 1 X 2 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Bosco; André Dias, Alex e Edcarlos; Souza, Mineiro, Josué, Danilo (Ramalho) e Júnior; Alex Dias (Thiago Ribeiro) e Aloísio.
Técnico: Muricy Ramalho.
Gols: Danilo e Aloísio.
Árbitro: Albert Duarte Ramírez (Colômbia).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: 4.000 pessoas.

14/02/2007 Copa Toyota Libertadores da América 2007
Santiago (Chile) Estádio San Carlos de Apoquindo
AUDAX Club Sportivo ITALIANO (Chile) 0 X 0 SÃO PAULO Futebol Clube (Brasil)
Rogério Ceni; Alex Silva, André Dias e Miranda; Neicer Reasco, Josué, Frédson, Lenílson (Hugo) e Jadílson; Leandro e Aloísio.
Técnico: Muricy Ramalho.
Não houve gol marcado pelo SPFC nessa partida.
Árbitro: Roberto Carlos Silvera Calcerrada (Uruguai).
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
3.413
* O Audax CS Italiano, por decisão do regulamento da CONMEBOL, não pode utilizar o seu estádio (Municipal de La Florida), em Santiago.

Resumo:

12 jogos; 3 vitórias, 6 empates, 3 derrotas; 15 gols a favor, 18 gols sofridos.
_____

Eh, estréia na Libertadores não é moleza não.

Versões do Distintivo

Claro que nada oficial, mas lembrando que alguns clubes europeus lançaram escudos distintos para determinados países alvo de seu marketing, de acordo com sua tradição ou escrita, arrisquei-me nestas ilustrações:


Em árabe, chinês, cirílico, grego, hebraíco, hindu, japonês, o clássico latino, e tailandês. Em alguns (1, 2, 6 e 9) está escrito somente São Paulo. O caso japonês aparece escrito os kanas mais aproximados aos fonemas das primeiras sílabas de São Paulo Futebol Clube.

p.s. Posto isso mesmo mais para relaxar a aura do blog (e a minha) de tanta estatística.

Revisão Importante

Confeccionando essa tabela abaixo e revisionando tooooda minha database descobri que, embora esteja anotado os placares corretos, 23 jogos estavam nomeados em uma célula do excel de uma forma diferente do resultado verdadeiro, apontavam vitória onde foi derrota, e vice-versa.


Consequência, como foi por estas células que somei muitas análises, os dados por mim elaborados até agora no campo estatísticas serão REVISTOS, e totalmente corrigidos se necessário.

Grande presente de aniversário eu tive...

Em poucos dias tudo estará ok.

p.s. Tabela de Confrontos (até 2007) totalmente revista e atualizada nos embates contra Batatais, Portuguesa, Ponte Preta, Flamengo, Fluminense, Uberlândia, Tecos, Cruzeiro, América de SJRP, Vasco da Gama, Guarani, Santos, Comercial de SP, Juventus, Botafogo de RP, Palmeiras e Noroeste.

Jogos por Competição também foi reajustada. O mesmo com o Top 10, SPFC vs Santos, e Recordes, além as fichas dos jogos recentes contra Ponte Preta, Santos e Noroeste.

Resta atualizar Marcos. Acho que deixarei para amanhã mesmo (começo a ter pavor por essa página, sempre que algo novo for alterado terei que recontar tudo).

Verdadeiramente sei o quanto são chatas essas revisões. Não somente pelo meu trabalho, mas por talvez aparentar uma falta de fidelidade histórica, comprometida por uma falta de segurança nos dados. Porém, não há essa falta de segurança, somente equívocos na contabilização e justamente por apego a essa fidelidade histórica que sempre que perceber algo fora dos conformes ou dos padrões prontamente corrigirei e informarei o fato.

Todavia, mais uma vez, desculpe.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Ego versus Alterego

Por três oportunidades o São Paulo teve por adversário o São Paulo em jogos oficiais. Obviamente não enfrentou sigo mesmo, mas sim clubes do interior inspirados no próprio clube da capital paulista.

*Sem considerar o antigo SPR (São Paulo Railway), que deu origem ao Nacional AC e que nada tinha a ver com o SPFC.

O São Paulo Futebol Clube de Araçatuba.
Fundado em 15 de novembro de 1948 de uma maneira peculiar. Os esportistas da cidade queriam fundar um clube, mas não conseguiam chegar a um consenso sobre que clube paulistano iriam homenagear ao batizá-lo. Com empenho, conseguiram realizar um torneio com o trio de ferro do futebol paulista: o nome adotado seria a da equipe vencedora.

Não deu outra, o São Paulo foi campeão e assim nascia um clube irmão, ou ahn, filho... Enfim. Já no ano seguinte ocorreria o primeiro embate entre as duas associações:

13/02/1949 Amistoso Nacional
Araçatuba (SP)
SÃO PAULO Futebol Clube (Araçatuba - SP) 0 X 8 SÃO PAULO Futebol Clube (SP)
Bertolucci (Tabarelli); Savério (Renato) e Mauro; Bauer (Azambuja), Ruy (Armando) e Noronha; China, Ponce de León (Zé Brás), Leônidas, Remo e Teixeirinha (Leopoldo).
Técnico: Vicente Feola.
Gols: Leônidas, Ponce de León (2), China (4) e Zé Brás.
Árbitro: José de Moura Leite.
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: Desconhecido.

Uma implacável goleada no primo distante, que todavia, não se repetiu no último confronto entre as equipes:

27/07/1952 Amistoso Nacional
Araçatuba (SP)
SÃO PAULO Futebol Clube (Araçatuba - SP) 1 X 1 SÃO PAULO Futebol Clube (SP)
Bertolucci; De Sordi e Mauro (Clélio); Pé-de-Valsa (Turcão), Ruy e Alfredo Ramos; Maurinho (Marin), Gustavo Albella, Durval, Nicolás Moreno e Teixeirinha (Nenê).
Técnico: Vicente Feola.
Gol: Turcão.
Árbitro: José Paula.
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: Desconhecido.

O São Paulo de Araçatuba perdurou até 1954, mudando seu nome para Araçatuba EC (que não é nenhum dos dois atuais Araçatuba), porém, reativou-se brevemente entre 1963 e 1964, desaparecendo definitivamente depois disso.

O São Paulo Esporte Clube de Londrina.
Fundado em 07 de setembro 1965 de maneira mais tradicional, nosso xará do norte do Paraná conquistou maiores glórias que o precedente araçatubense. Além de participar da primeira divisão do estadual, conquistou por duas vezes o campeonato de juniores (1992 e 2003) e manteve-se ativo até os dias de hoje.

Somente jogamos contra os londrinenses uma vez, ainda no ano de sua criação:

08/12/1965 Amistoso Nacional
Londrina (PR)
SÃO PAULO Esporte Clube (PR) 1 X 2 SÃO PAULO Futebol Clube (SP)
Gilberto; Celso, Jurandir, Roberto Dias (Fernando) e Tenente; Zoé (Carbone) e Nenê (Valter); Peter, Zé Roberto (Tático), Paulo Valentim (Pagão) e Paraná.
Técnico: Jim Lopes.
Gols: Peter e Paulo Valentim.
Árbitro: Geraldo Pimentel.
Não houve jogador do SPFC expulso nessa partida.
Renda: Desconhecida.
Público: Desconhecido.

Foram poucos jogos se pensarmos que em toda história o SPFC já inspirou a formação de dezenas de clubes de futebol profissionais, como você pode ver em São Paulo Fever.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Parque Aquático


O Parque Aquático do clube social do SPFC é um dos maiores espelhos d'água do país neste categoria, incluso com um tobogã de 40 metros e duas piscinas de águas aquecidas.

O tobogã e demais acessórios de piscina, como jatos e cascatas, foram confeccionados e instalados pela JBE Tobogãs. Já as piscinas são de manutenção da Marol Piscinas e Automação.

As duas últimas imagens são justamente de um reparo na piscina olímpica de concreto que havia trincado. A solução foi implantar uma manta de vinil.

Detalhe para o título que aparece ao fundo, no Morumbi: "Campeão do Milênio".

Grandes Taças